Carlos Lopes Franco e Luís Câmara

PORTUGAL | Portugal

CARLOS LOPES FRANCO | cfranco.com

Carlos Lopes Franco (Mafra, 1953) É fotógrafo amador, engenheiro termodinâmico e investigador em gasificação de biomassa e eficiência energética. O seu percurso pelo mundo da fotografia inicia-se em 1981 e após um interregno de 26 anos regressa em 2007 á  sua paixão pela oitava arte.

É Autor de três livros editados, “nós, os outros”, 2012, “5 dias em Paris”, 2014 e “olhar na alma”, 2016.

Conta com publicações em revistas e outros meios da especialidade de âmbito nacional e internacional, tais como: Convidado da semana do programa “Fotografia Total” da TVI24, Julho 2015 e entrevistado pelo programa Noticias ao Minuto, Dezembro 2016, fotógrafo da semana em entrevista no conceituado site 1x, Maio 2017, autor do mês com 3 distinções conferidas pelo site nacional de fotografia “Olhares.com”, autor do mês Fevereiro de 2015, na revista “SHOT Magazine“, bem como publicado em destaque na “DNG Photo Magazine” em Outubro de 2015.

Premiado em vários concursos fotográficos nacionais, sendo de destacar a distinção de fotografia vencedora do mês de Abril de 2015 na categoria de Saúde outorgado pelo Parlamento Europeu.

Conta com exposições individuais em diferentes locais, tais como Lisboa (1998, 2013 e 2014), Miranda do Douro (2001, 2015), Porto (2015), Avintes (2015), Espanha (2015), Figueira da Foz (2015), Universidade Jorge Tadeo Lozano, em Bogotá / Colômbia (2016), Pavilhão do Conhecimento e Edif Central do Municipio, Lisboa, Museu m|i|mmo, Leiria (2017) fruto do reconhecimento que a sua obra tem vindo a conseguir, refletindo um percurso consolidado assente numa forte perspetiva pessoal e na abnegada dedicação à  arte de eternizar situações da vida real.

.

LUÍS CÂMARA | luiscamaraphotography.com                                                                                                                                camaraman59.com

Luís Câmara (1959, Lisboa) sente desde cedo a vontade de registar aquilo que via e mais o marcava, iniciando a sua actividade fotográfica, de forma mais regular, depois dos 20 anos.

A partir dos anos 90, essa actividade intensifica-se associando-se ao Culto da Viagem, outra sua grande Paixão, que se tem constituí­do desde sempre como um dos temas nucleares na sua Fotografia.

Em 2007, adere à  Fotografia Digital. Desde então publica regularmente em diversas plataformas digitais e tem privilegiado, acima de tudo, os projectos colectivos ligados à  Fotografia, tendo integrado e coordenado os eventos e exposições levados a cabo pelo colectivo de Fotógrafos “Mar de Imagens” entre 2014 e 2015 e participado no EFI “ Encontro Fotográfico Ibérico em Orihuela, Espanha, em 2015. Teve a sua 1ª Exposição a tí­tulo individual, “Tudo e Todos”, patente em 2016 no CAE da Figueira da Foz e em 2017 no iNstantes, em Avintes.

Sendo amador e autodidacta, as ligações profissionais ás áreas da Engenharia e Arquitectura levam-no também a explorar cada vez mais a Paisagem Urbana, as suas geometrias e grafismos, abstracções e relação com os seus Habitantes, conduzindo-o muitas vezes à  mais pura e espontânea fotografia de rua.

Acima de tudo dá importância à  Composição que o Momento proporciona, sejam quais forem as relações e elementos que ele combine.

Persegue os seguintes Princí­pios na sua infindável, difícil e apaixonante Missão enquanto Amador e Amante da Fotografia:                                                                                                                    Olhar de uma forma Total sobre Tudo e Todos que nos rodeiam neste Fantástico Planeta / “Parar” o Tempo e Ver para além dele / Sentir e “Ouvir” a Essência do Momento na Força do seu Silêncio / Eternizar o irrepetível.

 

EXPOSIÇÃO: CUBA, ANO ZERO?                                                                                                                 MIRA FÓRUM : Rua de Miraflor, 155 – Campanhã, Porto

DSCF5421-1500 - Cópia© Carlos Lopes Franco

CSC_0015-pequeno - Cópia© Luís Câmara

Com a morte de Fidel Castro e a vontade de consolidar o caminho para o fim do embargo a que se sujeitou durante décadas, Cuba preparava-se para o Ano Zero de uma nova realidade plena de interrogaçõees. Foi este o cenário de dúvida que nos foi dado a testemunhar e a fotografar quando aterrámos em Cuba dois dias depois das cinzas de Fidel terem sido depositadas em Santiago. Aqui, mais de 60 anos antes o périplo da Revolução se tinha iniciado e um longo ciclo que tanto marcou e transformou a sociedade Cubana chegava agora ao seu termo. Sob a sombra de “El Comandante en Jefe” e da incerteza dos primeiros dias que se seguiram ao seu desaparecimento, a Vida ia sendo normalmente retomada com a rica espontaneidade que veste o quotidiano deste paí­s único. Uma nova viagem rumo a um destino ainda imprevisí­vel, mas fortemente desejado, seja ele qual for, iniciava-se para um Povo tão resiliente quanto apostado em ser Feliz.

Dezembro 2016

Carlos Lopes Franco / Luís Câmara

 

 

 

 

 

768 Total de Visitas 1 Visitas Hoje