A intervenção de Joana Pontes será sobre a sua última obra , “SINAIS DE VIDA: Cartas da guerra, 1961-1974“.
Sinais de Vida trata do registo feito por homens e mulheres que, durante os anos da guerra colonial, de 1961 a 1974, fixaram em cartas, escritas ou ditadas, os seus pensamentos acerca do modo como entenderam, sentiram e viveram, em privado, uma missão pública desta natureza. Resultado da circunstância específica da guerra, as cartas cruzaram toda a sociedade, independentemente da classe social, do género e da idade, tornando-se, certamente, numa das mais democráticas fontes para a história deste período. Escritas para circular no seu tempo, guardadas desde então e, desta forma, constituídas em arquivo, as cartas permitem, a partir das diferentes perspectivas apresentadas pela memória, pelo tempo de quem escreve e pelo tempo do texto escrito, tornar mais ampla a janela que dá a ver este período da nossa história recente e compreender como a evolução do pensamento dos militares em relação à guerra foi determinante para o fim do regime político que vigorava em Portugal.
.

– Licenciou-se em Psicologia,pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa ;

– Fez estudos em cinema na Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa em Televisão na RTP e na BBC;

– Em 2003, concluiu o Programa Avançado em Jornalismo Político no Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica de Lisboa;

– Em 2008, doutorou-se em História,na especialidade de Impérios, Colonialismo e Pós Colonialismo, pelo ISCTE-IUL;

– Dedica-se à escrita e realização de documentários, leccionando nessa área na Escola Superior de Comunicação Social.

– Foi distinguida com os Prémios: Grande Prémio da Lusofonia e Fernando Sousa.

 

Foto de Ana Brígida

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Total Page Visits: 73 - Today Page Visits: 2