Tadeu Vilani

Tadeu Vilani, nasceu no dia 03 de março de 1965, em Santo Ângelo, interior do Rio Grande do Sul, a 450 kms de Porto Alegre e a 100 kms da fronteira com a Argentina.

Começou a ter o conceito da fotografia através dos filmes do neo-realismo italiano. A fotografia a preto e branco dos filmes italianos, com a dramaticidade que os diretores colocavam nas suas obras, marcou o olhar do fotógrafo.

 Morou em Porto Alegre, de 1993 até 1995, quando fez um curso básico de fotografia no Senac, após o qual começou a trabalhar num laboratório fotográfico, especializado em fotografia em preto e branco. Em meados de 1995, volta a morar em Santo Ângelo. De 1996 a 2000, trabalhou como freelancer na sucursal do jornal Zero Hora. De 2001 a setembro de 2008, foi contratado para trabalhar na sucursal do jornal em Passo Fundo, sendo a partir dessa época transferido para a sede do jornal em Porto Alegre.

Desenvolveu trabalhos documentais paralelamente ao quotidiano do jornal.  Fotografou o legado arquitetónico das reduções missionárias no estado do Rio Grande do Sul, na província de Missiones, na Argentina e no departamento Itapuá no Paraguai. Fotografou os índios Guarani. Iniciou um projeto de fotografar as etnias que formam o Rio Grande do Sul. A primeira etnia a ser fotografada foi a dos descendentes de imigrantes italianos, depois os descendentes de imigrantes polacos, de seguida orientou o seu trabalho para a imigração alemã. Fotografou também os negros gaúchos. Este trabalho das etnias é  uma homenagem ás suas raí­zes, pois descende de italianos, polacos e negros.

Nesta altura, está a desenvolver um trabalho fotográfico sobre os descendentes dos açorianos.

Em 2011, juntamente com o fotógrafo Jorge Aguiar, forma o coletivo Milvus.

É o autor do livro “Olhos do Pampa”. Está para breve o lançamento de “Yo soy Fidel”.

Exposição: XXXXXXXX

São José dos Ausentes - RS-BR - Cópia© Tadeu Vilani

 

105 Total de Visitas 1 Visitas Hoje